quinta-feira, abril 09, 2009

Man on the Moon

Sempre tive uma relação especial com a lua. Não sei porque, mas olho para ela e me sinto aconchegado. Apesar de não ser praticante, tive desde sempre uma educação cristã que sempre me obrigou a ver o mundo segundo aqueles pontos de vistas que a minha educação me impôs.

Fui educado em pensar que quando uma pessoa falece, ela vai para o "alto dos céus". Mas onde fica isso? Confesso que esta questão já me fez muito pensar e que ainda não tenho resposta, pois não consigo visualizar e isso complica-me.

Ao contrário, consigo olhar para a lua e pensar que as pessoas de que já muito gostei e que já não estão comigo, possam lá estar a olhar para mim e tomar conta de mim.

Quase transparente no fim da tarde e extremamente iluminada ao inicio da noite, hoje a lua não me deixou um minuto. Estava de regresso a Lisboa e tive quase a certeza que alguém de lá de cima,,, estava a olhar cá para baixo, para nós. Esteve presente na viagem toda. Foi bom.

6 comentários:

Lobinho disse...

A Lua é a personificação do alto dos céus que nao vês.

Poetico que escreveste. E mais bonito ainda porque vivido.

abraços

pinguim disse...

Esteve presente em tantos de nós, amigo...
Abraço.

Anónimo disse...

Para o teu amigo......

Perdemos outra vez este crepúsculo.
Ninguem nos viu esta tarde de mãos dadas
enquanto a noite azul caía sobre o mundo.

Vi da minha janela
a festa do poente nos morros distantes.

Às vezes como uma moeda
se acendia um pedaço de sol entre as minhas mãos.

Eu te recordava com a alma encolhida
por essa tristeza que tu me conheçes.

Então onde estavas?
Entre qual gente?
Dizendo que palavras?
Porque é que o amor me vem assim de golpe
quando me sinto triste, e te sinto distante?

Caíu o livro que sempre se toma no crepúsculo,
e como um cão ferido tombou a meus pés minha capa.

Sempre, sempre te afastas pelas tardes
para onde o crepúsculo corre apagando estátuas.

JORGE CARDOSO

The White Scratcher disse...

Lobinho,
gosto de viver as coisas, apesar de magoarem.
Abraço


,,,, lindas Jorge estas palavras do Pablo Neruda. Espero que continues a visitar este espaço onde as lembranças são vividas eos regressos esperados.
Abraços para ti.

Luís Galego disse...

gostei de te ler embrulhado em poesia...

lampejo disse...

A lua tem o seu que de belo e mesterioso...
Há coisas que nunca se esquecem, e jamais se perdem, a memória daqueles que amamos.

Abraço!