segunda-feira, maio 25, 2009

Signs

Sem palavras.


10 comentários:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Olá

Não me digas nada. Eu vi este filme (que desconhecia) ha cerca de um mês e meio num outro blogue e fiquei emocionadissimo. Por tudo. Há oportunidades que nao voltam, e ha pessoas que estão ao nosso lado sem as sabermos aproveitar, sem as sabermos descobrir, ou deitando-as fora julgando que nunca mais as vamos encontrar.

Claro que existe um hiato no filme que é próprio para que a acção assim decorra, mas é muito comovente e adorei ve-lo por tudo o que temos de cinzento na vida (culpando-a quando a culpa nao é da vida e se calhar nao é do outro), e com as cores do arco-íris que nos permite sentir cada dia como uma nova emoção, feliz e confiante, porque sem confiança, nao pode haver amor.

Num filme de (des)encontro, fiquei meditativo. Há ou nao segundas oportunidades? Podia ser o título o filme. Depende do orgulho de cada um. Neste inadjectivavel video, depende da disponibilidade interior e do verdadeiro interesse em encontrar.

Tenho-o guardado como um video de lições de vida e (des)amor.

Abraço

Tongzhi disse...

Está muito giro, este vídeo.

ding ling disse...

às vezes, basta ver e olhar...

Ezequiel Coelho disse...

Um abraço aqui também! :o)

lampejo disse...

Um filme que começa mal e acaba bem.
Ao principio ainda me identifiquei com o filme, vim para a cidade, e vivo de casa para o trabalho e vice-versa, também sou introvertido, reservado e de poucas palavras. Ainda não cheguei a um final assim.
Abraço!

Catwoman disse...

É lindo...são estes encontros inesperados que dão sal à vida. Descobrir coisas preciosas onde menos esperamos.

Bjs

cris disse...

ás vezes a falta de palavras é só o que temos e os gestos tomam conta da nossa falha verbal, porque estamos cansados porque não nos conseguimos explicar e mais, mostrar. escondemo-nos tanto , assim somos obrigados, que perdemos contacto com a nossa verdadeira pele. mas sentimos na epiderme cada brisa, cada raio solar, cada golpe de papel. por vezes distraimo-nos com o acessório e não valorizamos o essencial. porque será que perdemos tanto tempo a colocar a nossa identidade naquilo que fazemos? será pela idade adulta assim nos definir? porque será que não podemos identificar-nos nas horas vagas?

os pequenos sinais estão lá. será que temos coragem para abraçá-los?

o filme dá que pensar...

beijinhos

The White Scratcher disse...

Daniel também gostem muito deste clip que decidi faze-lo um pouco meu. A esperança e a ingenuidade deste film fazem dele algo de especial.


,,,,,,Verdade Tongzhi,,,abraço..

,,,, Ding Ling, verdade,,, mas a idosa que tenho do outro lado da rua não me escreve mensagens em folhas A4,,,,,ahahahahah

The White Scratcher disse...

Outro para ti Ez, mais encontros inesperados,,,


,,,, lampejo,,, quem escreve as história e as folhas A4 somos nos,,, força,, as mensagens exisistem no mínimo entre 2 pessoas e nos somos uma delas.... força...

The White Scratcher disse...

Catwoman,, o sal faz tensão arterial alta e retenção hidrica,,,, lololol,,

,,,, Será pela idade adulta que assim nos escondemos? Será a falta de adultice que nos obriga as pessoas a tentarem mostrar o que não são?
Sim, o video dá que pensar..