sábado, agosto 18, 2007

Flying to freedom


Sempre gostei da ideia de voar. Apanhei o meu primeiro avião sozinho, numa ida para Londres, uma cidade que sempre me inspirou. Sempre gostei de ter um espírito livre, sempre que tentam limitar os meus movimentos sinto-me preso e começa a espernear. Sempre gostei de ser livre de decidir a minha vida, decidir sem que me obriguem a nada. Sempre fui contra às conformidades, sempre me revoltei contra os abusos, sempre fui firme contra as limitações da liberdade de acção. Tenho um nível associativo baixo o que me permite voar com a minha mente para os sítios mais improváveis e menos explorados.

Esta semana voei mais alto.

8 comentários:

cris disse...

The mind is a powerful thing and indeed can take us to beautiful landscapes...

Londres também é uma cidade que sempre me inspirou e inspira. Digam o que disserem dos ingleses a nível de frieza, mas a verdade é que o conceito de cidadania está muito mais enraízado nas veias da cidade do que em qualquer tunel do Rossio... Ou como diria o actor Hugh Laurie: os ingleses são difíceis de conquistar, mas quando o são, ficam amigos para toda a vida...

E de facto sente-se liberdade nas ruas. Não importa o que se veste, como se veste, como se anda, como se salta...O espirito londrino é mais: mind your own business... ao invés do: a galinha do vizinho...do espirito tugues...

Faz bem voar, e se pudesse tinha apanhado também esse avião para Londres... que bom! Mas só através deste post já pude voar um bocadinho. O resto fecho os olhos e vejo onde vou parar...

beijinhos gds e mais um Hug de rachar as costelas;)
mas muito mimoso hihi

Catwoman disse...

Nunca gostei de caixas, nunca gostei de prisões...se há coisa que detesto e sempre me incomodou foi ver pássaros em gaiolas...nenhum pássaro é pássaro de gaiola. E talvez me incomode tanto por não conseguir deixar de me rever na situação. A pior coisa que alguém me pode fazer, mais até do que mentir, é fazer sentir-me presa...presa a alguém, presa a ideais que não os meus e que tentam dar-me à colherada. Pessoas, ideais, são escolhas de vida devem ser "prisões" de consciência, "prisões" de escolha. A única forma legítima de "perder" a liberdade é dando-a de livre vontade a quem e ao que amamos...para voarmos em conjunto e não para ser arrastado pelo bando. A melhor forma de voar e de liberdade é querer voar em conjunto, na mesma direcção, com as mesmas coordenadas, simplesmente porque é um encontro de vontades e de asas...

Bons voos ;)

Baci

p.s. : quanto ao nível associativo baixo... não me vou pronunciar lol Tongzhi, se apareceres por aqui, tu controla-te lololol

Catwoman disse...

E antes que o loiro não entenda :P a piada do nível associativo é só mesmo uma piada...essas associações em espiral obliqua ascendente são uma forma muito curiosa e interessante de ver o mundo...que muitas vezes têm piada pela sua lógica retorcida lolol ;)

pinguim disse...

Londres, que saudades já, e ainda em Maio lá voltei.
Se não fosse a vida tão cara por lá, mais vezes para lá voava, já que isso até é barato.
Abraço.

lampejo disse...

Continua a voar...
Abraço!

inixion disse...

;)

hug

Will disse...

Voa então e saboreia cada momento da magia desse vôo =)

Will disse...
Este comentário foi removido pelo autor.